sábado, 25 de julho de 2015

Literatura em Movimento: Preciso falar sobre...


Hoje é segundo post do projeto Literatura em Movimento idealizado pelas blogueiras Ana Karina (Da Literatura), Helena Dias (Café com Livro) e Denise Valente (Sacudindo as Palavras).

E o tema desse mês é...


O tema será sobre aquilo que está preso dentro de nós, que você quer e precisa botar para fora. Algo que você deseja falar para fazer as outras pessoas refletirem. Pode ser qualquer assunto, por exemplo: homofobia, preconceito, algo que você não concorda ou até mesmo algo que você concorda mas as outras pessoas discordam. Pode ser, inclusive, algo pessoal que você precisa botar para fora de alguma maneira, desabafar. 

E mais uma vez me fizeram quebrar a cabeça para decidir sobre e como montar o post. 

O tema que escolhi já faz um tempo que rondava a minha mente, mas no fim acabei não fazendo nenhum post sobre isso, até a agora, e a oportunidade acabou aparecendo.



Dentre inúmeros assuntos "polêmicos" que eu poderia escolher decidi por um que a principio não tem nada que gere tantas discussões, mas se parar e refletirmos veremos que todos os problemas que ocorrem no mundo são causados pela falta dele: o respeito.

É algo tão simples que deveríamos inclusive nascer sabendo, mas que parece ser uma defasagem mundial.

A falta de respeito não se aplica apenas naquele momento quando alguém fala palavras chulas ou grosseiras para outra pessoa e outra pessoa diz: " que falta de respeito"; ela se aplica a algo muito além.

Não respeitar as diferenças, nem as escolhas que tem diversos nomes mais populares como: preconceito, racismo, bullying, homofobia; todos são gerados pela falta desse senso que todos deveriam ter.

O que todos se perguntam é como acabar com isso, mas a resposta não se encontra num todo, mas sim em cada um.

A falta da compreensão de que todos são diferentes e que devemos aceitar cada um da forma que é não é algo que todos entenderam, ainda. Parece ser inalcançável por tanto tempo que se passou e os seres humanos não conseguiram compreender isso. O nome certo, a meu ver, é ignorância.

 Todos acham que o mais fácil é ignorar e continuar vivendo com isso porém não será sempre assim, não pode ser assim. 

Vivemos num planeta com mais de 7 bilhões de habitantes de diversas cores, gêneros e culturas, não existe uma forma de todos serem iguais nem mesmo semelhantes (descartando todas as semelhanças físicas) dessa forma só poderemos viver numa sociedade feliz quando todos entenderam que as diferenças só nos fazem mais especiais e parte do mundo.

Independente de qualquer coisa que nos torne "diferentes" aos olhos de alguns temos que pensar na felicidade e no amor, que são o que mais importam no fim das contas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião nos comentários!

Tecnologia do Blogger 2014-2016