quarta-feira, 29 de abril de 2015

Mudar de cidade para alcançar o sonho. Será?


Quando somos crianças e nos perguntam o que queremos ser quando crescer respondemos algumas coisas vagas que vão mudando com o tempo para outras que nem imaginávamos, mas aí chega o dia que essa resposta vai fazer a diferença e ser necessária. Mas e quando o que você quer está longe de você? Primeiro impulso: eu vou! Mas essa resposta implica em várias consequências e obstáculos.

Acredito que em todos bate uma certa insegurança em tomar essa decisão, pois muitas vezes você acaba indo para tão longe que a sua vida muda totalmente. Sem mãe e pai, para te ajudar e te dar aquele apoio quando você precisa; você é obrigado a crescer e aí a vida adulta chega pra valer.

Para saber mais como é essa experiência e a melhor forma de lidar com tudo isso nada melhor do que perguntar para quem vive isso não concordam? Por isso pedi o depoimento de duas blogueiras e de uma amiga.





"Difícil difícil não foi tomar a decisão, porque eu sempre quis saber como era não morar com meus pais, Sempre tive essa curiosidade essa vontade interna, e diferente de muitos jovens felizmente eu tinha o apoio dos meus pais. Então quando fiquei sabendo do resultado da faculdade minha mãe já começou a pesquisar sobre a cidade e o local que iria ficar. No inicio estava toda animada, mas depois que começou a cair a ficha veio o medinho do desconhecido. Moro eu e mais 4 meninas, mas cada uma tem seu quarto, então eu tenho companhia digamos assim,  mas sinto falta da família, principalmente da minha irmã. Sinto falta de quando ficava todo mundo na sala falando besteiras e almoçando, mas morar sozinha esta me dando um empoderamento que a vida iria me cobrar uma hora ou outra, uma autonomia tamanha. Eu posso sair a hora que quiser e voltar também, fazer o que bem entender, mas isso gera uma responsabilidade enorme porque agora não tenho minha mãe para me ligar e dizer: “vem embora que amanhã tem aula"."||Curso: Biologia. Em Goiânia.




"Oii Larissa, então eu sempre fiz faculdade longe de casa, na verdade essa é minha segunda faculdade, sou formada em Administração em Rio do Sul, Santa Catarina, e morava em São José - SC, e fui morar sozinha, tinha uns 20 anos, claro que morar sozinho a princípio é, ou parece ser, tudo mil maravilhas!! A primeira vez que fui morar sozinha é porque eu me sustentava, ou pelo menos tentava me sustentar sozinha, sem pedir ajuda ao meu pai haha, porque eu trabalhava e conseguia pagar todas as despesas, aí está o problema, porque além de trabalhar, estudar a noite, tem que se virar pra fazer comida, lavar a roupa, e tudo que o seus pais faziam e você nem se dava conta, achava fácil, mas na verdade não é!! Meu sonho sempre foi fazer psicologia, em um certo dia, conversando com minha prima, ela comentou que tinha um amigo dela estudando medicina na Bolívia, aí pensei porque não?! Só que não fui para a Bolívia, vim para Argentina, comecei a pesquisar se podia estudar aqui, porque preferia, mais perto do Brasil e a cultura também é mais parecida, sem falar nas universidades que são, geralmente melhores que lá!! Contratei uma assessoria para fazer todos os tramites de documentos para vir morar pra cá, claro que antes disso, conversei com meu pai, porque não teria como eu morar e trabalhar aqui por conta do curso, que é integral, apesar de meu pai não ter dinheiro sobrando assim, ele me deu apoio, já que era esse meu sonho, fazer medicina e me especializar em psiquiatria, que na verdade é quase a mesma linha da psicologia. A princípio fiquei super empolgada de vir morar pra cá, vendi meu carro, e já estou aqui há dois anos e meu pai que me sustenta, então tudo tem seu lado bom e ruim, ser sustentada pelos pais quer dizer que você não pode mais comprar aquela blusa, ou aquela maquiagem a hora que quiser haha sem falar na distância que apensar de ser do lado do Brasil, não podemos ir sempre! Então quando a saudade aperta só me resta, conversar no whatsapp, skype, ver fotos..não é fácil, não é mil maravilhas porque não são férias! Tenho que viver no mínimo 6 anos num país me adaptando com a língua e sua cultura em si! Tem dias que dá vontade de voltar pra casa, mas tem que ser forte e o sonho de me tornar médica e maior que isso! O lado bom de viver aqui é conhecer uma cultura que por mais que se pareça com a nossa é bem diferente, e também de aprender outro idioma, que pra mim é ótimo, sempre quis isso!!! E claro de me tornar médica."||Curso: Medicina.|Blog: Bonita por dentro e por fora.

"Eu sempre quis entrar em uma universidade pública e em 2012 esse sonho foi realizado. Devido a greve de professores que durou quase (ou até) um semestre, as minhas aulas só iam começar em novembro. Até ai tudo bem, minha mãe ficou super  feliz, meu namorado e as amigas também, uma festa que só. Porém, o detalhe de tudo isso é que ei ter que me mudar para outro estado. 


Eu não via nenhum problema porque era o que sempre quis estudar fora da minha cidade. Mas os outros sim, ainda mais em relação com o meu namoro. Já posso dizer que a distância não interferiu em nada, e ela só fortaleceu o relacionamento.

A minha mãe nunca botou muita fé que eu ia passar em uma universidade pública, e ainda mais sair de casa. Quando ela ficou sabendo da notícia, foi ai que a ficha caiu. E o melhor de tudo é que ela me apoiou, e me apoia, em tudo.

Eu fui pra Ouro Preto sozinha fazer a matricula e uma semana antes de me mudar definitivamente, minha mãe foi comigo para a cidade pra conhecer aonde que eu ia morar. Viajei de vez para Ouro Preto no dia 22 de novembro, se não me engano, com o meu namorado (ele foi comigo pra me ajudar com as malas) e só me dei conta dessa nova "aventura" depois que me despedi dele no dia seguinte, na rodoviária da cidade.

Os meses de novembro e dezembro não foram fáceis, chorei bastante, me senti solitária, senti muitas saudades, mas nunca pensei em desistir. Como a greve desregulou o calendário acadêmico, eu só teria livre a semana do natal e ano-novo e em janeiro já tinha que voltar para Ouro Preto para estudar.
Para vocês não ficarem perdido eu estudo jornalismo, porém o curso é em Mariana (cidade vizinha, que nem São Paulo - Guarulhos). Fiquei nesse vai vem de cidade durante quatro meses. Em abril de 2013 me mudei pra Mariana, e continuo morando lá até hoje.

Quando eu passei na universidade os meu planos era morar sozinha, mas hoje percebo que se tivesse escolhido essa opção não teria aguentado ficar longe da minha família. Atualmente eu divido um apartamento com mais quatro meninas, e de 2012 pra cá já morei em três casas diferentes.

Sim, são muitas. Mas cada uma me proporcionou uma experiência diferente. A questão de se saber me virar sozinha não foi um problema, porque eu passei a cuidar da minha irmã desde os 10-11 anos, na época ela tinha 5, então eu meio que amadureci cedo.

Claro que viver com pessoas desconhecidas não é fácil, mas também não é impossível. Sabe aquele sexto sentido que a gente tem em relação com as coisas? Então, ele que me ajudou a escolher com quem eu ia morar.

Confesso que teve momentos que me decepcionei com as pessoas, e hoje em dia nem
converso mais. Mas são coisas da vida né!

Pra quem não sabe, ou ainda não descobriu, o nome da universidade que eu estudo é Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Tenho certeza de que vocês já ouvirem falar dela, ainda mais se for relacionado a bebida. Mas eu digo uma coisa para vocês, a universidade não é só isso.

Sobre o meu curso, ele é maravilhoso. Escolha melhor eu não poderia ter feito. Na UFOP são quatro anos (termino no ano que vem =D), tem professores maravilhosos e que sempre estão dispostos a te ajudar. Eu já fiz estágio na Rádio UFOP Educativa, Prefeitura de Mariana e voluntária no 9º Encontro da Mídia, que foi realizado em Ouro Preto. Foram lugares que eu adorei trabalhar e que me ajudaram muito a ter certeza sobre a escolha do curso.

Já cheguei a ter algumas crises de saudade, preocupação e estres, ainda mais com coisas relacionadas com dinheiro. E eu digo uma coisa pra vocês, o apoio financeiro dos pais faz todo a diferença. Graças a Deus a UFOP é uma mãe pra todos os seus alunos, ela oferece bolsa moradinha, alimentação e transporta. Como todo mundo, eu também tive que passar por um processo socioeconômico, consegui 100% em todas as categorias e consigo (quase) me manter sozinha na cidade. 

Hoje em dia eu falo que já me acostumei com a saudade, as vezes ela vem mega forte, mas consigo doma-lá. Viver longe, passar 12h dentro de um ônibus (sim demorada tudo isso o trecho Ouro Preto - SP), falar pouco com os pais, amigo e namorado já faz parte de mim.

Um outro sonho que eu realizei recentemente, foi fazer um intercâmbio. Estou desde janeiro na Colômbia estudando jornalismo na Universidade Pontifícia Bolivária, na cidade de Monteria. A sensação é que eu estou passando tudo de novo, de quando eu fui pra Ouro Preto. A única diferença é que eu não posso ir para casa todos os meses.

O intercâmbio eu consegui através da UFOP com direito a moradia e alimentação. Está sendo uma experiência maravilhosa, estou conhecendo novas pessoas, um novo estilo de vida, uma nova cultura e tudo mais que vocês possam imaginar. Aqui acabei conhecendo duas brasileiras maravilhosas, que moram comigo, e a gente se tornou uma família. O bom é que eu não me sinto totalmente sozinha, porque diminui um pouco a saudade. Mas ás vezes tem dias que ela vem, e com força.

Eu adoro contar a minha mudança de vida, como uma forma de incentivo. Eu super sou a favor das pessoas correrem através dos seus sonhos e não desistirem no primeiro tropeço. Não é fácil, isso é fato, mas como disse lá em cima, não é nada impossível.

Eu cresci grandemente, as minhas ações, os meus conceitos, os meus anseios e a minha forma de ver o mundo.

Espero que esse relato tenha incentivado alguém. E pra quem tem interesse em saber mais dessa minha jornada, eu tenho um blog o Lucidez Feminina e todos os sábados eu solto um post #diariodeviagem sobre a experiência aqui na Colômbia.



Fiquem com Deus, e não desistem do seu sonho.

Um grande beijo."|| Curso: Jornalismo.|Blog: Lucidez Feminina.



Espero que o post tenha ajudado quem está nesse dilema de ir ou não. 
Alguém está com essa dúvida ou já tomou a decisão?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião nos comentários!

Tecnologia do Blogger 2014-2016